Últimos Artigos
Inversor de Links Transforme seu computador em um ponto de acesso WIFI Deep web a internet que você não vê Como tirar a segunda via do CPF online Como fazer botões em HTML Como recuperar arquivos de um computador que não inicia Os anônimos dominaram o mundo e agora?

WINDOWS

BESTEIROL

HUMOR

SOFTWARES

VARIEDADES

DICAS DE SÁUDE



SAÚDE




HANSENÍASE 

O QUE É A HANSENÍASE?
É uma doença que atinge a pele e os nervos dos braços, mãos, pernas, pés, rosto, orelhas, olhos e nariz. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é longo. pode variar de 2 a até mais de 10 anos. A hanseníase pode causar deformidades físicas, que podem ser evitadas com o diagnóstico no início da doença e o tratamento imediato.
COMO SE TRANSMITE A HANSENÍASE?
A hanseníase é transmitida por meio das vias respiratórias; tosse e espirro. A principal fonte
de transmição da doença é a pessoa doente que ainda não recebeu tratamento medicamentoso.
A hanseníase não se passa por abraços, aperto de mão e carinho. Em casa ou no trabalho, e os copos.
COMO SEI QUE ESTOU COM HANSENÍASE?
Olhe para o seu corpo e procure observar, nos braços e mãos, nas pernas e pés, no rosto, nas
orelhas, nas costas, nas nádegas, os sinais e sintomas da doença.
uma ou mais manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do
corpo com diminuiçao ou perda da sensibilidade ao calor, á dor e ao tato.
Caroços e inchaços no corpo, em alguns casos avermelhados e doloridos.
Engrossamento do nervo que passa no cotovelo, levando á perda da sensibilidade e/ou diminuiçao da força do quinto dedo. Dor e sensação de choque, fisgadas e agulhadas ao longo dos
nervos dos braços, mãos, pernas e pés. Áreas com diminuição dos pêlos e do suor.
para saber mais acesse http://www.saude.gov.br/


GORDURA TRANS SAIBA O QUE É

A gordura sempre foi vista como a bruxa da alimentação. Mas devemos lembrar que ela é importante para o equilíbrio alimentar. O segredo está em escolher o tipo certo de gordura. Muitos estudos científicos sobre esses nutrientes têm sido realizados e, faz algum tempo, descobriu-se mais um tipo de gordura, além das saturadas e insaturadas. Dentro da classificação das insaturadas, está a gordura do tipo trans (é esse mesmo o nome dela: trans). Essa gordura é produzida no processamento dos alimentos; não existe na natureza.
As gorduras insaturadas geralmente não são sólidas a temperatura ambiente e, para que a indústria alimentícia possa utilizá-las, elas são submetidas a um processo industrial chamado “hidrogenação” (esse nome não faz lembrar as gorduras hidrogenadas?), que as torna mais estáveis e duráveis.
Na hidrogenação, adiciona-se hidrogênio a óleos vegetais, como os de soja e milho, com o objetivo de solidificá-los a temperatura ambiente. Como resultado, obtém-se uma gordura mais espessa e mais resistente ao processo de oxidação lipídica, o que aumenta seu prazo de validade. Os principais alimentos provenientes desse processo são a margarina (quanto mais dura ela é, maior sua concentração de gordura trans) e a gordura vegetal hidrogenada, que são base para a maioria dos alimentos industrializados. Encontramos esse tipo de gordura nos biscoitos, salgadinhos de pacote, produtos de confeitaria, batatinhas fritas, pipocas de microondas, bolos industrializados, entre outros alimentos prontos.
Mas você sabe quais são os problemas que o consumo exagerado desse tipo de gordura pode trazer? Elas têm um efeito muito parecido com o das gorduras saturadas, ou seja, aumentam as taxas de colesterol. E mesmo quem tem uma taxa de colesterol considerada normal (de até 200 mg/dL) deve tomar cuidado, pois esse tipo de gordura também diminui as taxas do colesterol HDL — o chamado “colesterol bom”. O aumento do nível de “colesterol ruim”, o LDL, pode gerar a obstrução dos vasos sangüíneos, causando doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio. Além disso, a gordura trans aumenta a taxa de triglicerídeos. Isso significa que os estragos à saúde são grandes.
Depois de vários anos de estudos, em 2003, a Food and Drugs Administration — FDA —,agência do governo norte-americano responsável pela regulamentação de alimentos e medicamentos, estabeleceu a obrigatoriedade de que os rótulos dos produtos informem sobre a presença desse tipo de gordura. 
E quem está mais suscetível a consumir produtos ricos nessa substância são as crianças. Veja a seguir exemplos de alimentos que apresentam gordura trans e procure evitar o consumo deles, bem como oferecê-los a seu(s) filho(s) com muita freqüência:
- biscoitos recheados;
- bolachas;
- pipoca de microondas;
- maionese;
- margarinas duras;
- massas folhadas;
- bolos industrializados;
- sorvetes do tipo cremoso;
- pratos congelados industrializados;
- batata;
- salgadinhos “de pacote”;
- sopas e cremes instantâneos.
COLESTEROL 0 INIMIGO INVISÍVEL
Muito se fala sobre o colesterol e suas altas taxas, que provocam infartos e outros fantasmas. Mas, para desvendá-lo, precisamos conhecê-lo melhor.
O colesterol é uma gordura que nós fabricamos no nosso organismo. Ele é essencial, pois é encontrado em nossas células e é responsável pela produção de muitas reações metabólicas do nosso organismo. Assim como nós, os animais também produzem colesterol e, quando ingerimos carnes, leite, ovos e outros produtos de origem animal, estamos ingerindo também quantidades extras de colesterol. Então, somando o colesterol que fabricamos com aquele que consumimos pela alimentação, as taxas podem se elevar e o excesso pode causar doenças cardíacas e derrames. O colesterol se aloja em nossas artérias, que vão ser obstruídas pelo seu excesso e, conseqüentemente, deixarão de levar o sangue para o coração, cérebro e outros órgãos vitais.
É importante ressaltar que o colesterol só está presente em produtos de origem animal, ou seja, vegetais e seus derivados, como óleos e margarinas, não possuem colesterol. Não se impressione com aqueles alimentos de origem vegetal cujos rótulos estampam que eles são livres de colesterol, pois isso é óbvio. Esses alimentos podem ser restritos conforme orientação médica ou de um(a) nutricionista, pois alguns possuem as chamadas gorduras saturadas — mas essa conversa é para uma próxima oportunidade.
O colesterol é uma substância gordurosa denominada de lipoproteína que é produzida pelo nosso fígado. Existem vários tipos de colesterol. Os mais importantes são o HDL, chamado de “bom colesterol”, e o LDL, denominado de “mau colesterol”. Verifique na tabela abaixo os valores de referência das taxas séricas dessas lipoproteínas:
Colesterol
Ideal
Médio risco
Alto risco
Colesterol total
200 mg%
entre 201 e 239 mg
240 mg
HDL
60 mg%
entre 35 e 60 mg%
35 mg%
LDL
130 mg%
entre 130 e 160 mg
160 mg
O colesterol deve ser restrito em dietas de pessoas que têm doenças cardiovasculares, como aterosclerose, hipercolesterolemia, entre outras.
Atualmente, por causa de dietas ricas em gorduras, até as crianças são vítimas de hipercolesterolemia, que é a doença causada por altas taxas de colesterol no sangue e que pode causar graves doenças na fase adulta. Para diminuir esse risco, devemos ter uma dieta rica em vegetais, frutas e fibras e pobre em gorduras de origem animal.
Alguns fatores externos também podem interferir nas taxas do colesterol:
- stress;
- tabagismo;
- excesso de peso;
- vida sedentária;
- alimentação rica em gorduras e pobre em fibras.
Alimentos ricos em colesterol
— Banha, bacon e torresmo
— Leite integral, creme de leite, nata e manteiga
— Lingüiça, salame, mortadela, presunto, salsicha e sardinha
— Dobradinha e mocotó
— Gema de ovo e maionese
— Carne bovina com gordura visível
Veja abaixo dicas de como ter uma alimentação mais saudável e evitar todos esses problemas.
- Consuma moderadamente carnes e derivados de leite integral.
- Prefira as carnes brancas, como frango e peixe, às vermelhas, como a bovina e a suína.
- Consuma derivados de leite desnatados.
- Ingira muita verdura, legumes e frutas frescas.
- Consuma, semanalmente, grãos integrais como arroz, aveia, gérmen de trigo, feijão, ervilha, lentilha, etc.
- Sempre cozinhe os alimentos com pouca gordura.
- Use o forno de microondas, panela a vapor, alimentos refogados, grelhados, assados, gratinados ou cozidos em fogo brando.
- Evite frituras.
- Retire a gordura das carnes e a pele do frango.
- Use limão ou ervas para dar mais sabor aos alimentos.
Se você adotar uma alimentação mais equilibrada, com pouca gordura, tiver uma atividade física diária e hábitos saudáveis, poderá prevenir muitas doenças e ter mais qualidade de vida.