Pix - Entenda o que é e quando vai começar a valer

Pix é a nova forma de pagamentos e transferências instantâneas lançada pelo Banco Central, que visa aumentar a velocidade dos pagamentos, das transferências, baixar os custos, aumentar a segurança das operações, e preencher algumas brechas que existem em relação aos meios de pagamentos atuais.


Veja a seguir as Informações disponibilizadas pelo Banco Central.

O PIX é pautado nas seguintes características principais: disponibilidade, velocidade, conveniência, segurança, ambiente aberto, multiplicidade de casos de uso e fluxo de dados com informações agregadas.
 
Disponibilidade: Pagamentos instantâneos poderão ser realizados 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias do ano, inclusive sábados, domingos e feriados.

Conveniência: Experiência facilitada para o usuário: Iniciação, conciliação e confirmação dos pagamentos focados nas necessidades dos usuários.

Velocidade: Recursos disponíveis para os recebedores em poucos segundos.

Segurança: Transações cursadas na Rede do Sistema Financeiro Nacional e utilização de meios
inovadores e seguros para autenticação digital.

Ambiente aberto: Estrutura flexível e aberta de participação, a fim de garantir o acesso e o surgimento de participantes que ofertem serviços inovadores e diferenciados que atendam as necessidades dos usuários finais, admitindo duas modalidades de participação:

A. Provedor de conta transacional: instituição financeira ou instituição de pagamento que oferta uma conta transacional (conta de depósitos a vista, conta de depósitos de poupança ou conta de pagamento pré-paga) para o usuário final.

B. Provedor de serviço de iniciação de pagamento: Instituição que exercerá a iniciação do pagamento a pedido de um cliente titular de conta transacional, não participando da liquidação financeira. Essa forma de participação está condicionada a regulamentação especifica.

Multiplicidade de casos de uso: Poderão ser realizados pagamentos de qualquer tipo e valor, incluindo transferências entre pessoas e/ou empresas; pagamento de bens e serviços em estabelecimentos comerciais, no comércio eletrônico e transferências envolvendo o governo.

Fluxo de dados com informações agregadas: Informações importantes para a conciliação poderão cursar junto com a ordem de pagamento, facilitando a automatização e o surgimento de novos modelos de negócio.

Segundo informações, o Pix começará a valer a partir de 3 de Novembro, e todos os bancos e fintechs com mais de quinhentos mil usuários ativos deverão obrigatoriamente se adequar as novas condições.

De acordo com o Banco Central as transações do Pix poderão ser das seguintes formas:

Informando os dados bancários de quem vai receber o pagamento, parecido como é feito o TED e DOC hoje em dia: Nome completo, CPF, agência, instituição bancária e conta;

Informando uma chave Pix, na qual o usuário poderá adicionar a uma conta que já possui.

O que é essa chave Pix?

Essa chave pode ser o número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ. Será necessário informar somente uma dessas opções. Ou também você poderá optar por utilizar a tecnologia de QR Codes — estáticos ou dinâmicos.

Autor: Marcelo Souza

Comente este artigo

1 Comentários